A lei de Amra

A manga é uma fruta magnífica, rica em ferro e vitamina C. Oriunda da mística Índia foi trazida até nós pelos portugueses na época do descobrimento e se espalhou pelo Brasil de norte a sul. Seu nome científico é MAN(g)GÍFERA e pertence a família das ANARCADIACEAE, possuindo mais de cem variedades da espécie. Seu nome em sânscrito é AMRA que significa: “Aquele que SERVE as criaturas vivas”[1]. Dito isto, vamos para a parte da chamada Lei de Amra!

Costume que remonta primevos egípcios, a famosa Lei de Amra é mencionada em diversos manuscritos místicos antigos.

Esta mesma lei foi, posteriormente adotada pelos povos hebreus influenciando suas práticas religiosas até hoje.

A Lei de AMRA é a seguinte[2]: Se você ora ao Deus do seu Coração, suplicando algum auxílio especial em caso de doença, preocupação, adversidade, tribulação, ou problema financeiro, e se sua prece, ou seja, sua petição for atendida, você tem o dever de fazer uma compensação, não apenas por meio de uma prece ou um sentimento de gratidão, mas, transferindo a outrem uma parte da benção que recebeu.

Como visto, a tradição assim nos obriga se ao pedirmos melhora de saúde, alívio em algum sofrimento ou mesmo auxílio em negócios ou ascensão social, de acordo com a Lei de Amra, devemos contribuir com algo, separando uma pequena quantidade de dinheiro ou qualquer outro material que possa ser usado para fazer mais feliz alguma outra pessoa, ou melhor, colocá-la em paz com o mundo. Tal procedimento pode ser estendido para quando recebemos uma benção dos Mestres espirituais caso contrário não devemos pedir, com justiça, no futuro quaisquer outras bênçãos!

A pequena quantidade de dinheiro doada nunca deve ser usada para qualquer propósito pessoal ou meramente egoísta. Deve ser utilizado para ajudar algum enfermo, criança desolada, movimento de auxílio ao próximo que realmente necessite ou esteja realizando uma obra benemerente!

Portanto é Lei! Se oramos ao GADU na busca de solução para algum problema, seja ele de ordem espiritual, emocional ou material, tais como finanças, negócios, doenças, etc e, se essa solicitação for “ouvida”, conforme a Lei de Amra é dever místico do beneficiado fazer uma COMPENSAÇÃO, não só por meio de uma prece de agradecimento, que muitos a fazem apenas por desencargo de consciência, mas levar à alguma pessoa necessitada uma parte do benefício que por graça recebeu, visando assim minorar as dores e os sofrimentos alheios, ISSO É LEI!

Para termos uma simples ideia do que falamos a verdadeira graça obtida a todos é concedida todas as vezes que nos reunirmos em loja. Aqui, tristes ou alegres satisfeitos ou esperançosos e sãos ou doentes, nos olhamos e nos aplicamos um ósculo fraternal e reverenciamos fortemente o Soberano Árbitro dos Mundos, GADU, a VIDA e a criação humana... Isso, por si só já é motivo mais que suficiente para fazer correr o Tr\ – sempre fazemos isso, a maioria pela tradição, quando nos juntamos seja para o que for – isso é cumprir a Lei de Amra! Portanto, a doação, feita de maneira secreta e anônima, não serve apenas para dizermos a nos mesmos que somos bondosos e caritativos e que por isto mesmo alcançaremos qualquer tipo de “prestígio”. É a Lei e devemos cumpri-la!

Interessante é verificar que na Bíblia inexiste explicação para a sua aplicação e por isso mesmo ela vem sendo distorcida há milênios e mal apelidada como um simples DÍZIMO! Que alias, significa contribuição ou imposto equivalente à décima parte de um rendimento qualquer. Imposto? 10%? Como assim??? Bem, isto pode ser visto facilmente em qualquer dicionário.

Como visto, a verdadeira Lei de Amra que desaguou no atual processo do dízimo enfrentou séculos de distorções e más interpretações por puro desconhecimento das causas e dos efeitos da ritualística. Para evidenciar o que acabamos de afirmar vejamos dois textos atribuídos a Hermes Trimesgisto[3], chamado de “O três vezes grande” pelos antigos egípcios: 

Os falsos sábios, reconhecendo a irrealidade comparativa do Universo, imaginaram que podiam transgredir as suas Leis: estes tais são vãos e presunçosos loucos; eles se quebram na rocha e são feitos em pedaços pelos elementos, por causa da sua loucura. O verdadeiro sábio, reconhecendo a natureza do Universo, emprega a Lei contra as leis, o superior contra o inferior; e pela Arte da Alquimia transmuta[4] aquilo que é desagradável naquilo que é agradável, e deste modo triunfa. O Domínio não consiste em sonhos anormais, em visões, em vida e imaginações fantásticas, mas sim no emprego das forças superiores contra as inferiores, escapando assim das penas dos planos inferiores pela vibração nos superiores. A Transmutação não é uma denegação presunçosa, é a arma ofensiva do Mestre....

Em qualquer lugar que estejam os vestígios do Mestre, os ouvidos daquele que estiver preparado para receber o seu Ensinamento se abrirão completamente. 

Esta lei, como visto até aqui, é uma doutrina sagrada desde os primórdios do antigo Egito, absorvida pelos hebreus em suas práticas religiosas e que se espalhou para outras religiões do mundo. Hoje em dia vilipendiada e aviltada em algumas práticas ditas religiosas[5] que recebeu erroneamente o nome de “DÍZIMO” e, por conseguinte passou a ter uma definição totalmente material e com conotação de tributação ou coisa do gênero! Muitas vezes confundimos o Tr\ com o Dízimo... Eis então as gritantes diferenças!

Como vimos, a Lei de Amra é uma Lei Mística ou Espiritual e está ligada a ajuda anônima, desinteressada e despojada. Metais ou outros suportes de cunho material a serem doados, nunca poderá ser empregado com propósitos pessoais ou egoístas.

Neste sentido, as instruções recebidas sobre o tema CORPO, na abordagem do Dr. Deepak Chopra que versa sobre o fato de sermos nós que estamos sempre escolhendo TUDO que nos ocorre de bom e de ruim, ele enfaticamente afirma sobre a necessidade permanente de se criar HARMONIA e BENEFÍCIOS para nós e para todos aqueles que estejam a nossa volta. Isto é simplesmente a Lei de Amra e que tem LIGAÇÃO com a LEI DO CARMA, e por que não dizer, com todas as Leis que regem o Universo, tenhamos conhecimento delas ou não, principalmente agora, que já sabemos que tudo se resume em Sistemas que se interligam, Sistemas interligados a Sistemas, Leis interligadas a Leis, etc[6]...

A nossa sublime Instituição nos fala, sempre de Leis, Guarda da Lei, Livro da Lei, Tribunal etc. Como visto e entendido esse processo é a prova viva do entendimento da Ordem para com os princípios criadores do Universo, da Vida, de TUDOLEIS, Leis que regem que sustentam que dão forma.

Bem, finalizando, tomo emprestado um exercício verbalizado pelo Amad\ Ir\ André Rebouças, Mestr\ M\ da ARLS José Antonio Guimarães, 1292, do Rio de Janeiro. Para a sua execução peço que fechem os olhos e tentem seguir, nos seus silêncios este poderoso exercício transmutador, capaz de transformar nossas vidas e que não gasta mais do que DEZ MINUTOS diários.

Escolha um horário fixo todos os dias, às 22h, por exemplo. Sente-se em local reservado e silencioso e ... 

Imagine-se VISUALIZANDO, distribuindo milho aos pombos, por exemplo, ou outro tipo de alimento aos animais silvestres ou domésticos, não vá escolher um jacaré, execute isso em uma área gramada. Harmoniosa. Bonita, e você retirando de dentro de uma sacola ou um bornal esses alimentos e distribuindo aos pombos que estão a sua volta em revoada. Observe e sinta a alegria deles quando interagem com você em uma comunicação feita pelo espírito, através do teu olhar no olhar deles... 

Podemos abrir os olhos, vagarosamente e entreolhemo-nos.

Meus AAmad\ IIr\, ao término desse exercício, que é dotado de grande enlevo, procurem colocar uma moeda de R$0,50 ou R$0,25 em um cofrinho ou recipiente qualquer e, após cada semana ou cada mês, entregue o produto gerado para algum necessitado da Rua ou a uma Instituição voltada para fins filantrópicos ou beneficente. Isso, meus IIr\ é POTENCIALIZAR a Lei de Amra, isso é TRANSMUTAR, essa é uma arma poderosíssima, mas só para quem arregaça as mangas (MANGAS? Acho que já falei sobre isto no começo!), só para quem trabalha, só para quem vai à LUTA, só para quem deseja transmutar-se verdadeiramente e assim entender em sua verdadeira dimensão o significado do Tr\ de Solid\ ou de Benefic\, deixando de encará-lo apenas como mais um giro ritualístico onde muito “fazem de conta que estão doando” mas se esquecem do que receberam, recebem no presente e estão por receber...

Finalmente, meus AAmad\ IIr\, tudo o que fazemos em uma Loja Maçônica tem raízes muito antigas e representam tradições milenares que devem ser preservadas e repassadas aos iniciados para que continuem a beneficiar mais e mais pessoas mundo afora! Nosso universo está se transmutando, lentamente para nossos padrões. Neste momento impar de nossas vidas, quando desfraldamos o espírito da AMA – Ação Maçônica Assistencial, em sua 7ª edição, conecta-se o espírito da Lei de Amra e o desejo irrefreado dos maçons aqui reunidos para minorar o sofrimento alheio e, ao esmo tempo resgatar, pela doação sincera, o que já receberam desta mesma comunidade! Assim, encerro esta peça de arquitetura, agradecendo a oportunidade dada e ao mesmo tempo pedindo que reflitam sobre o poder da Lei de Amra e suas consequências, quando bem empregada!

René Descartes

ARLS Hipólito da Costa, 1960

M\I\, G\ 32

Contribuições:

Alexandre A JANSEN Osório, Ven\ Mestr\ da ARLS Hipólito da Costa, e

HUMBERTO França de S Vidal, M\ I\ e  Obr\ da ARLS Hipólito da Costa


[1] Rebouças, André P, Mestr\M\, ARLS José Antônio Guimarães, 1292, Rio de Janeiro, RJ;

[2] http://rosacruzes.blogspot.com/2007/09/lei-e-amra.html

[3] http://www.joselaerciodoegito.com.br/downloads/caibalion.pdf, O Caibalion,

[4] Transmutar significa: transformar, mudar, converter

[5] Ver o significado da palavra RELIGIÃO

[6] Rebouças, André P, Mestr\M\, ARLS José Antônio Guimarães, 1292, Rio de Janeiro, RJ;